Colégio São Camilo Paraná desenvolve atividades da lei antibullyng

Durante as aulas semanais que acontecem dentro do projeto Escola da Inteligência no Colégio São Camilo Paraná, alunos e professores tratam da lei 13.185/2015, que entrou em vigor em 06.02.16 no Brasil, como Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying). A ação passa a ser definida como “todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima, em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas”.

Com materiais e recursos midiáticos voltados aos professores, pais e alunos a Escola da Inteligência destaca os estudos que o Dr. Augusto Cury desenvolve nos últimos 30 anos, com a Teoria da Inteligência Multifocal, que trata das habilidades socioemocionais. Em seu método, aprender a gerenciar pensamentos e emoções requer conhecimento sobre os bastidores da mente, requer a compreensão de que o que uma pessoa pensa incidirá na maneira como elaborará suas emoções e estas incidirão sobre a maneira como irá se comportar, segundo informações da Escola da Inteligência.

O projeto é praticado no Colégio São Camilo e, segundo a diretora Analiza Zapotoszek, o bulling se consolida nas relações e ainda no externo que envolve consumismo, mídia e padrões estabelecidos pela sociedade. “Existe a atuação direta e indireta do bullyng que pressiona e agustia as pessoas. Procuramos trabalhar na prevenção que envolve sempre um colocar-se no lugar do outro e então pensar antes de agir e reagir”, destaca.

As atividades no Colégio buscam ainda potencializar as habilidades socioemocionais e trabalha com pessoas que praticam o bullyng e os que são vítimas. Dentro das premissas da Escola da Inteligência, as ações pessoais se consolidam no sentido de fortalecer a autoimagem e a autoestima para que aprendam a reconhecer e a não se afetarem, não se tornando vítimas destas ações.

“Quem nos ofende? É o outro que nos ofende ou nós é que nos permitimos nos sentir ofendidos pela ofensa? Desta forma, trabalhamos para que os alunos construam-se de maneira emocionalmente inteligente e que aprendam a lidar com suas emoções, tanto o agressor (deixando de sê-lo), como o agredido (para que não venha a se colocar nesta condição)”, destaca texto do projeto.

A Lei 13.185/2015 ainda garante que “é dever do estabelecimento de ensino, dos clubes e das agremiações recreativas assegurar medidas de conscientização, prevenção, diagnose e combate à violência e à intimidação sistemática (bullying)”, e que “os entes federados poderão firmar convênios e estabelecer parcerias para a implementação e a correta execução dos objetivos e diretrizes do Programa instituído por esta Lei”.

Acesse a Lei:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13185.htm

Professores durante aulas da Escola da Inteligência no Colégio São Camilo

Professores durante aulas da Escola da Inteligência no Colégio São Camilo